O centro oleiro de Flor da Rosa (concelho do Crato, Alto Alentejo)

Autores

Typology: 
Paper
Journal title: 
Trabalhos de Antropologia e Etnologia
Year: 
1963
Volume: 
XIX
Issue: 
2
Pages: 
145-168
Synopsis: 

[Resumo extraido da fonte]

O centro oleiro da Flor da Rosa exerceu, desde tempos muito remotos, importância considerável no abastecimento de louça de barro às populações do Alto Alentejo e Beira Baixa. Tivemos conhecimento, por informações colhidas ali, que hoje, neste centro oleiro, há apenas 18 olarias em laboração e que, há uns vinte anos atrás, este número ia a cerca de 60. Tem-se assistido a um êxodo contínuo dos oleiros e suas famílias para centros de maior população, onde podem ter ocupações mais rendosas e estáveis. Um velho oleiro, o sr. António Batido, afirmou-nos: "dantes um casal de oleiros e os seus 5 ou mais filhos empregavam-se todos na olaria. Hoje não. Enquanto os filhos são de menor idade, podem ainda fazer um ou outro serviço na olaria, como seja o da pisa ou o da miga, mas já não aprendem a trabalhar na roda". A decadência presente do centro oleiro da Flor da Rosa deve-se não só ao aparecimento da louça de esmalte, de alumínio e de plástico, mas também ao facto de os oleiros terem de comprar o barro, e o combustível ser de difícil aquisição e, ainda, segundo afirmam, por estarem sobrecarregados de impostos.

Language: 
Geographic area: 
Last modified: 
05/25/2021 - 17:28