Cidade da Rosa

Autores

Caeiro, José O. (Author)
Typology: 
Paper
Journal title: 
Arquivo de Beja
Year: 
1987
Volume: 
IV
Pages: 
111-126
Synopsis: 

[Resumo extraído da fonte]

Pretendemos com esta comunicação dar uma panorâmica introdutória da investigação que vimos a desenvolver, desde 1973, nesta estação aequeológica. 

Considerada por alguns autores como do mais importantes vestígios de época romana, em toda a margem esquerda do rio Guadiana, a "Cidade de Rosa" pode ser encarada com um exemplo de implantação rural do espaço geográfico disponível. Localizada no distrito de Beja, concelho de Serpa, a sua posição é referenciável na Carta Militar de Portugal nº 533, quadrícula quilométrica nº 108-252; latitude 3755'49''; longitude (Lisboa) - W/E, 135'20''. 

A área até agora detectada extende-se por uma elevação com a cota máxima de 218 m., ocupando toda a periferia SE de uma zona planáltica. A cerca de 150 m. para E corre o barranco da Morgadinha no sentido NO-SE e 300 m. para O, uma linha de água no sentido S-N, subsidiária do mesmo barranco. 

Os vestigios assentam sobre o designado "Complexo Cristalofílico", de larga marcha no Baixo Alentejo, paleontológicamente estéril, correspondente às séries cristalofílicas azóicas. 

O acesso faz-se através da estrada que liga Serpa à freguesia de Vale de Valgo; a quatro quilómetros de sede do concelho, deixando ao lado esquerdo a Horta da Alcaria, avista-se para Sul a elevação de terreno coroada de oliveiras onde se situa a "Cidade Rosa".

Language: 
Geographic area: 
Last modified: 
11/22/2021 - 22:57