Riodonorês e guadramilês: um estudo histórico e sociolinguístico

Autores

Typology: 
Paper
Journal title: 
Mandinga - Revista de Estudos Linguísticos
Year: 
2017
Volume: 
1
Issue: 
1
Pages: 
20-38
Synopsis: 

[Resumen extaído de la fuente original]

Com o presente estudo quisemos analisar o guadramilês e o riodonorês, numa perspetiva histórica e sociolinguística, não descurando algumas particularidades fonológicas. Estas duas línguas de descendência asturo-leonesa, pertencentes ao território português, situamse na zona nordeste de Portugal, junto à fronteira com Espanha. Juntamente com o mirandês, são as únicas línguas não galaico-portuguesas existentes no território nacional que, na opinião de muitos especialistas, é um espaço linguístico de notável unidade (BOLÉO & SILVA, 1962; MAIA, 1992). Telmo Verdelho (1993), considera que estas línguas estão extintas desde meados do século passado e que hoje em dia consistem apenas numa ténue memória linguística completamente desaparecida. No entanto, através do presente estudo, pretendemos demonstrar que, mesmo contando com um reduzido número de falantes, continuam a fazer parte do património linguístico e cultural daqueles que se orgulham de as continuar a utilizar como sua marca identitária. Com efeito, ao longo deste nosso estudo de caso pudemos apurar que estas duas línguas continuam a ser usadas por alguns dos habitantes de Riodonor e Guadramil, mesmo que em situações mais privadas e informais. Julgamos estar, ainda, a tempo de salvar estas línguas que, na opinião dos nossos inquiridos – e também na nossa –, deviam continuar a ser aprendidas em família. Na verdade, uma língua apenas pode ser abandonada pelos seus próprios falantes e, com esta nossa investigação, ficou bem patente que os riodonoreses e os guadramileses parecem não querer abandonar a sua identidade linguística secularmente consagrada. Palavras-chave: Riodonorês; guadramilês; sociolinguística; línguas minoritárias.

With this study we intended to analyze the “Guadramilese” and the “Riodeonorese” in an historic and social-linguistic perspective, not forgetting some phonological particularities. These two languages of Astur-Leonese descendant, belonging to the Portuguese territory, are situated on the Northeast of Portugal, near to the Spanish border. Along with the “Mirandese”, these are the only non-Galician-Portuguese languages of the national territory which is, in the opinion of several specialists, a linguistic space of remarkable unity (Boléo & Silva, 1962, Maia, 1992). Telmo Verdelho (1993), considers that these languages are extinct since the middle of the last century and that currently they are only a faint linguistic memory completely vanished. However, with this study, we intend to show that even though these languages are spoken by a small portion of speakers, they continue to be a part of the cultural and linguistic heritage of those who, proudly, use them as their identity mark. During our study, we could verify that these two languages are still used by some of the Riodonor and Guadramil inhabitants, even though in private or informal situations. We believe, according to our respondents and to our own opinion, that we still have time to save these languages which should continue to be learned in family environment. In fact, one language can only be abandoned by their own speakers and, in our investigation it was quite demonstrated that Riodonor and Guadramil population don’t seem to want to abandon their linguistic identity consecrated by the centuries. Keywords: Riodonorese; Guadramilese; social-linguistics; minority languages.

Language: 
Geographic area: 
Last modified: 
08/02/2019 - 14:27