Línguas e variedades fronteiriças de Portugal

Autores

Typology: 
Proceedings
Volume title: 
Ecolinguismo e línguas minoritárias: colóquio internacional sobre ecolinguismo e línguas minoritárias: uma homenagem a Amadeu Ferreira
Volume editors: 
Gómez Bautista, Alberto; Moutinho, Lurdes de Castro; Coimbra, Rosa Lídia (coords.)
Locality: 
Aveiro
Publisher: 
UA Editora - Universidade de Aveiro
Year: 
2017
Pages: 
11-27
ISBN: 
978-972-789-496-3
Synopsis: 

[Resumen extraído de la fuente original]

A presente comunicação tem por principal objetivo descrever, do ponto de vista sociolinguístico, a fronteira luso-espanhola. Recorre-se à história, à linguística e a outras disciplinas para explicar o porquê dos fenómenos linguísticos que se localizam nestas regiões. Faz-se uma breve revisão dos estudos mais relevantes sobre esta matéria. É revista a bibliografia no âmbito da história, da dialetologia e da sociolinguística. Para além de apresentar de forma breve o estado da arte, analisam-se alguns dados obtidos ao longo das nossas viagens de pesquisa por algumas das localidades raianas, com o intuito de completar e acrescentar algumas informações sobre a vasta área objeto deste estudo. Deste modo, tentaremos apresentar uma visão geral mas rigorosa e tão completa quanto possível da situação sociolinguística limítrofe e dos principais factos que originaram este panorama. Inicia-se o percurso na controversa fronteira, do ponto de vista linguístico, entre a Galiza e o Norte de Portugal. Continua-se o caminho através das linhas que separam Portugal de Castela e Leão e que deixaram numerosos enclaves linguísticos de ambos os lados da “raia”: no português, Rio de Onor, Guadramil, Deilão, Petisqueira e a Terra de Miranda, testemunham a importância que o asturo-leonês teve no oriente trasmontano; no lado espanhol, em Castela e Leão, veremos os enclaves galego-portugueses de Ermisende e Alamedilha. Continuaremos o nosso percurso em Cedilho, Os Três Lugares (Eljas, San Martín de Trevejo, Valverde del Fresno), Franja de Alcântara e Olivença, na Estremadura espanhola. Este estudo debruça-se também sobre o barranquenho e as consequências linguísticas que os constantes movimentos migratórios (mais intensos em épocas de perseguição e guerra) foram deixando no português e no espanhol falado nas áreas contíguas à fronteira. Conclui-se esta viagem entre isoglossas e “raias” políticoadministrativas na região do Algarve. Palavras-chave Línguas em contacto, fronteira luso-espanhola, galego, português, espanhol, asturo-leonês, sociolinguística.

The main purpose of this communication is to describe the Luso-Spanish border, from a sociolinguistic point of view. We will resort history, linguistics and other disciplines to explain linguistic phenomena located in frontier regions. It is made a brief review of the most relevant studies on this subject. The bibliography is reviewed in the context of history, dialecology and sociolinguistics. In addition to briefly presenting the state of the art, we analyze some data obtained during our research field trips to the “raia” locations, in order to review update and add some information about the vast area object of this study. In this way, we intend to present a more accurate and complete as possible overview of the sociolinguistic bordering situation on the main facts which have arisen to this panorama. The route begins at the controversial frontier, from the linguistic point of view, between Galicia and northern Portugal. We will continue through the lines separating Portugal from Castile and Leon and leaving numerous linguistic enclaves on both sides of the "raia", in Portuguese side the importance that the asturo-leonese had in the east trasmontan region is testified by, Rio de Onor, Guadramil, Deilão, Petisqueira and the Land of Miranda: On the Spanish side we will analyze the Galician-Portuguese enclaves of Ermisende and Alamedilha. our journey will proceed to Cedillo, The Three Places (Eljas, San Martín de Trevejo, Valverde del Fresno), Fringe of Alcantara and Olivença. This study will also consider the language and the linguistic consequences that the constant migratory movements (more intense in times of persecution and war), were leaving in the Portuguese and Spanish spoken in the areas adjacent to the border. This journey will be resumed among isoglosses and political-administrative "raias" in the Algarve region. Keywords Contacting languages, Portuguese-Spanish border, Galician, Portuguese, Spanish, Asturian-leonese, sociolinguistics.

Remarks: 

Colóquio Internacional sobre Ecolinguismo e Línguas Minoritárias. Uma homenagem a Amadeu Ferreira (15 e 16 de junho de 2016 - Centro de Línguas, Literaturas e Culturas da Universidade de Aveiro / 17 e 18 de junho de 2016 - II Jornadas de Língua e Cultura Mirandesas, Miranda do Douro).

Language: 
Last modified: 
08/02/2019 - 14:25