Etnobotânica de Rio de Onor: uma aldeia transmontana

Director: 
Carvalho, Ana Maria Pinto
Typology: 
Dissertation
University: 
Universidade dos Açores
Year of completion: 
2010
Pages: 
165
Synopsis: 

[Resumen extraído de la fuente original]

O trabalho de investigação conducente à elaboração desta tese de Mestrado decorreu durante cerca de cinco anos, repartido em três fases principais: a) Realização do trabalho de campo; b) Análise, interpretação e tratamento da informação obtida; c) Redacção da tese.

No capítulo I são abordadas as etapas, através das quais foi estruturado e concebido este estudo de natureza etnobotânica, tais como: apresentação do tema de estudo, enquadramento teórico, justificação do tema, objectivos, hipóteses e questões de investigação, e a estrutura do trabalho.

No capítulo II pretende-se efectuar a caracterização física e humana do Parque e da aldeia de Rio de Onor, com o intuito de percepcionar como determinadas condicionantes físicas ditaram a forma de ocupação do território e o aproveitamento dos recursos naturais disponibilizados pelo meio, como determinadas comunidades vegetais. De acordo com Aguiar & Rodrigues (2002) a acção humana interfere na dinâmica das comunidades vegetais, compartimenta a paisagem, desenha formas, introduz elementos novos, no limite, altera mais ou menos ou profundamente algumas componentes do meio.

O capítulo III corresponde à metodologia adoptada e como se explicará mais adiante, o recurso à entrevista foi o instrumento mais adequado, abrangente e eficaz na recolha da informação etnobotânica. Durante os anos de 2005 e 2006 efectuaram-se entrevistas aos residentes, identificando e seguindo o dia-a-dia do povoado e as tarefas relacionadas com o mundo vegetal.

O capítulo IV é dedicado à etnobotânica de Rio de Onor, através da elaboração de um catálogo de etnoflora, onde se descreve toda a informação recolhida sobre as espécies, usos, tradições e sabedoria popular. Organizaram-se listagens por ordem alfabética das famílias botânicas, entre outras, a fim de elaborar a listagem final de categorização de usos das principais espécies utilizadas. Também se procede a uma análise e discussão dos resultados na sequência da elaboração desse catálogo, referido no ponto anterior. Esta análise e discussão foi efectuada com base em vários instrumentos e procedimentos: cálculo de índices relacionais e comparativos; reunião de dados quantitativos e qualitativos e a sua leitura através de gráficos e tabelas; avaliação das espécies quanto aos seus usos e frequência de citação; comentário dos usos tradicionais ainda vigentes; situação actual desta sabedoria popular; explicação da repartição do conhecimento botânico por faixas etárias.

A conservação do conhecimento etnobotânico constitui o capítulo V. Os usos tradicionais de plantas nos centros rurais foram outrora uma prática comum. Neste capítulo serão abordadas e perspectivadas várias questões relativas a possíveis aplicações práticas, que poderão ser levadas a cabo no futuro, como complemento às actividades agrícolas e valorização dos recursos naturais, na dinamização desta comunidade rural. Por último, segue-se a síntese das principais conclusões, a lista final de espécies, a bibliografia e os anexos deste estudo etnobotânico. 

Remarks: 

Dissertação de Mestrado em Gestão e Conservação da Natureza.

Language: 
Geographic area: 
Last modified: 
08/02/2019 - 14:24