Como nos movemos nos dois lados da fronteira – Reflexão sobre variação lexical entre o português e o galego

Typology: 
Paper
Journal title: 
LaborHistórico
Year: 
2019
Volume: 
5
Issue: 
Número especial 2
Pages: 
210-260
Publication: 

Número especial de la revista LaborHistórico titulado Cabalgando nas ondas do Atlántico. Estudos sobre léxico galego e portugués, coordinado por Rosario Álvarez y Eduardo Louredo.

Synopsis: 

[Resumo proveniente da fonte]

A reflexão sobre o conceito de movimento remonta à filosofia grega pré-socrática, associada a outros conceitos como os de tempo, de mudança e metamorfose. É histórica a contenda entre Parménides (imobilidade) e Heráclito de Éfeso, para quem na natureza, na vida e na sociedade tudo é dinâmico. Mais tarde, Aristóteles sintetizou estas duas posições e o conceito de movimento, frequentemente associado a mudança e devir, torna-se num dos principais desafios colocados ao pensamento aristotélico. O filósofo traça uma teoria do movimento, dividindo-o em deslocamento no espaço (traslação), substância (geração), mudança quantitativa (aumento e diminuição) e mudança qualitativa (alteração). Neste sentido, estão lançadas as bases para a máxima tomista: Tudo o que se move é movido por alguma coisa. Do ponto de vista lexical, uma recolha (e respetiva análise) dos verbos que carregam o sema de movimento permitirá traçar um percurso da forma como o sujeito se relaciona desde sempre com tudo o que o rodeia, sendo ainda mais pertinente verificar a existência de pontos de contacto e de afastamento entre línguas como o galego e o português que partilham não só uma fronteira, como também uma história. Palavras-chave: Verbos de movimento. Português. Galego. Variação lexical.

The reflection on the concept of movement goes back to pre-Socratic philosophy, associated with other concepts such as time, change and metamorphosis. It is historical the contention between Parmenides (immobility) and Heraclitus of Ephesus, for whom in nature, in life and in society everything is dynamic. Later on, Aristotle synthesized these two positions as well as the concept of movement, often associated with that of change and becoming, progressing into one of the main challenges posed to Aristotelian thought. The philosopher delineates a theory of motion by dividing it into displacement of space (translation), substance (generation), quantitative change (increase and decrease), and qualitative change (alteration). Hence, the foundations for St. Thomas’s motto are laid: everything that moves is moved by something. From the lexical point of view, a collection (and its respective analysis) of the verbs that carry the motion signal is to follow a path of the way the subject always relates to everything around it, and it appears even more pertinent to check the existence of points of contact and distance between such languages as the Galician and the Portuguese that share not only a border, but also a history. Keywords: Verbs of movement. Portuguese. Galician. Lexical variation.

Language: 
Keywords: 
Last modified: 
11/21/2019 - 21:52