Protomegalitismo no sul de Portugal: inauguração das paisagens megalíticas

Tipología: 
Actas de congreso
Título del volumen: 
Muitas antas, pouca gente? Actas do I Colóquio Internacional sobre Megalitismo, Trabalhos de Arqueologia, XVI
Localidad: 
Lisboa
Editorial: 
Instituto Português de Arqueologia
Año: 
2000
Páginas: 
117-134
Sinopsis de contenido: 

[Resumo extraido da fonte]

Procede-se a uma revisão da informação disponível sobre a fase inicial do megalitismo no Sul de Portugal. Testa-se um modelo explicativo da génese dessa fase, protomegalítica, a qual possui aspectos arqueológicos similares em extensas áreas europeias, atlânticas e mediterrâneas. No Sul de Portugal, verifica-se que o fenómeno sepulcral protomegalítico surge, quer no litoral, quer no interior, durante o Neolítico Antigo Evolucionado, na transição para o Neolítico Médio. Com base na cronologia relativa e nas datações radiométricas obtidas para o protomegalitismo do Norte de Portugal e para o Ocidente europeu, é possível datar a fase inicial do megalitismo do Sul de Portugal do V milénio cal BC, com um óptimo centrado em meados desse milénio. As sepulturas protomegalíticas, constituídas por pequenas câmaras fechadas sob colina tumular, marcam uma ruptura relativamente às práticas funerárias do Neolítico Antigo Pleno, onde o doméstico e o funerário se encontravam espacialmente associados, na continuação da tradição mesolítica. A função funerária ocupará doravante espaços específicos, de elevada visibilidade, construídos para a eternidade, ao contrário dos estabelecimentos residenciais, de curta duração, com estruturas perecíveis que rapidamente se apagavam na paisagem, associados à prática de uma agricultura itinerante, de sacho e queimada. Aquelas sepulturas inauguram uma nova paisagem, construída pela ideia de tempo mítico ou monumental; a elas se irão somando outras realizações megalíticas, ortostáticas, em processo crescente de gigantismo e complexidade até ao Neolítico Final. Da sepultura proto-megalítica ao grande dolmen de corredor parece persistir a mesma ideia estruturante de valorização do passado, do antepassado, do tempo cíclico, ao serviço da consolidação da formação social camponesa, assente em sistema de relações estáveis, de parentesco, no quadro do modo de produção doméstico, tal como foi formulado por Meillassoux.

This paper reviews the information available on the initial phase of megalithism in the south of Portugal. It tests an explanatory model for the origins of this proto-megalithic phase, which possesses archaeological aspects that are similar to those in large areas in Europe, in the Atlantic and Mediterranean. In the south of Portugal, it has been verified that the proto-megalithic burial phenomenon emerges, both on the coast as well as in the interior, during the early Neolithic in the transition to the middle Neolithic. Using the relative chronology and the radiometric dates obtained for proto-megalithism in the north of Portugal and for western Europe, it is possible to date the initial phase of megalithism in the south of Portugal to the 5th millennium cal. B.C., with its peak in the middle of this millennium. The proto-megalithic burials, characterized by small closed chambers beneath a tumulus, mark a break from the funerary practices of the early Neolithic, when the domestic and the funerary are found spatially associated, and show a continuity with the Mesolithic tradition. The funerary sites from this time onward occupy specific places of high visibility and are constructed for eternity, in contrast to habitational areas, which are occupied for a short duration, characterized by perishable structures which rapidly disappear in the landscape, and associated with the practice of a mobile slash and burn agriculture. These burials inaugurate a new landscape, based on the idea of a mythic or monumental time; and develop into later orthostatic constructions, in an increasing process of gigantism and complexity until the final Neolithic. From the proto-megalithic burial to the large passage grave, the same structuring idea of valuing the past and cyclic time persists and serves to consolidate a peasant social formation based on the system f stable relations of ancestry in the context of a domestic mode of production, as was formulated by Meillassoux.

ÍNDICE: Palavras prévias | Protomegalitismo: tempo de construção | Espaços funerários | Povoados | Cronologias | Reutilizações | Caracterização arqueológica | Protomegalitismo: para a reconstituição de um quadro explicativo

Lengua: 
Palabras clave: 
Última modificación: 
02/05/2021 - 09:59