Viola campaniça: o outro Alentejo

Autores

Tipologia: 
Livro
Localidade: 
Vila Verde
Editorial: 
Tradisom
Ano: 
2001
Páginas: 
203
ISBN: 
972-8644-02-7
Sinopse do conteúdo: 

[Resumo proveniente da fonte]

Fruto de um criterioso trabalho de recolha efectuado por todos os recantos do país durante mais de um quarto de século, o arquivo etnomusical de José Alberto Sardinha é hoje, muito provavelmente, o mais vasto arquivo sonoro de música portuguesa de tradição oral. Incansavelmente, sem apoios, sem subsídios, tem vindo a percorrer todo o Portugal, que tanto ama, e a registar os costumes e tradições musicais que considera importantes e representativos.

Apesar do valor dessas recolhas, a sua edição tem defrontado, por motivos de ordem económica, inúmeras dificuldades, razão por que a obra publicada de José Alberto Sardinha é tão escassa quando comparada com a vastidão do seu arquivo. Urgia, por isso, arranjar forma de dar a conhecer ao grande público tão importante acervo etnomusical. Através de protocolos que a Tradisom conseguiu estabelecer com o Ministério da Cultura (Delegações Regionais), torna-se agora possível ir editando, com previsível regularidade, tais recolhas musicais, inseridas em pequenos livros que estudem e desenvolvam as músicas dos discos que os acompanham e as correspondentes tradições populares.

Esta a razão da colecção que agora se inicia. Nela se poderão incluir, conforme o projecto do próprio José Alberto Sardinha, tanto as tradições musicais de uma região como as de uma pequena aldeia, tanto o estudo de um instrumento como o de um determinado género músico-instrumental, como serão, por exemplo, as tunas, tanto o testemunho singular de um só tocador ou intérprete popular, como até o de um agrupamento folclórico que se considere musicalmente importante, sério e genuíno.

[...] Concretamente quanto ao primeiro volume desta colecção, não queremos deixar de salientar o valor do trabalho de campo realizado por José Alberto Sardinha e a importância que teve a sua primeira obra sobre a viola campaniça, publicada em 1986, sob o título, igual ao da presente, de Viola Campaniça, o Outro Alentejo. No início da década de 80, numa altura em que ninguém fazia pesquisa no terreno decerto porque todos consideravam já extinta essa viola e falecidos os últimos tocadores, ele levou a cabo, com grande perseverança e sentido de investigação, um notável trabalho de campo que veio revelar que, afinal, ainda sobreviviam alguns tocadores de viola no Baixo Alentejo. Identificou-os, localizou-os, entrevistou-os, gravou as suas músicas e deu-os a conhecer através dessa edição de 1986. Foi a surpresa nos meios da etnomusicologia, pois ninguém calculava que houvesse qualquer tocador de campaniça ainda vivo.

ÍNDICE: Razões de uma Colecção | I. Notícia Prévia | II. Introdução à Viola Campaniça (Texto Primitivo) | III. Principais Tocadores e Locais de Recolha | IV. A Viola – Recensão Histórica | V. Notícias Portuguesas sobre a Viola | VI. A Viola no Brasil | VII. Referências e Investigações sobre a Viola Campaniça | VIII. Informações de Campo | IX. «Pelo Toque da Viola» – Nome e Morfologia da Viola Campaniça | X. «Já Passei um Bom Serão» – Usos e Funções da Viola Campaniça | XI. A Selecção Musical e os Discos | Anexo: A Construção da Viola Campaniça, por Pedro Caldeira Cabral | Apêndice: As Faixas dos Discos – Intérpretes e Letras.

Recensão: 

Correia, Maria Clara; Neves, Rosa Clara, Yearbook for Traditional Music, vol. 19, 1987, pp. 140-141 (enlace a la reseña).

Língua: 
Área geográfica: 
Última modificação: 
09/04/2021 - 16:43