Romanceiro da província de Trás-os-Montes. Distrito de Bragança

Autores

Tipologia: 
Livro
Localidade: 
Coimbra
Editorial: 
Universidade de Coimbra
Ano: 
1987
Páginas: 
1439
Sinopse do conteúdo: 

ÍNDICE: A. ROMANCES VÁRIOS | ÉPICOS (DERIVADOS DO CANTAR DE GESTA PENINSULAR) | I. Penitência do Rei Rodrigo | II. Perseguição do Búcar pelo Cid || CAROLINGIOS (DERIVADOS DO CANTAR DE GESTA FRANCÊS | III. Morte de d. Beltrão (Á) | IV. Conde Claros e a Princesa Acusada (Á) | V. Conde Claros insomne (Á) | VI. Conde Claros vestido de frade (Á) | VII. D. Gaiferos (Á) | VIII. O Conde Preso (Á-O) | IX. Floresvento (Á) | X. Belardo e Valdevinos (Í-A) || HISTÓRICO | XI. Morte do Príncipe d. João (Á-A) || BÍBLICOS | XII. A criação (estróf.) | XIII. O filho pródigo (estrof.) || CLÁSSICOS | XIV. Florbela e Brancaflor (É-A) | XV. Virgílio || (E) MOCIDADE DO HERÓI | XVI. Quem quiser viver alegre (Í-A) || PRESOS E CATIVOS | XVII. A rainha e sua escrava (Í-A) | XVIII. D. Bozo (Í-A) | XIX. O cativo (É-A) | XX. Canta Mouro (Í-A) | XXI. O prisioneiro (Ó-ÃO) | XXII. Nos campos de Vila Rica (Á-A) || REGRESSO DO MARIDO | XXIII. Bela Infanta (Polias.) | XXIV Regresso do Marido (É) | XXV. O Conde de Flores (Á) | XXVI. Regresso do marido (É-A) || AMOR FIEL | XVII. O Conde Ninho (Á) | XXVIII. O quintado (É-A) | XXIX. O cordão de ouro (É-A) | XXX. Porque não cantas, ó Bela? (É-A) || AMOR DESGRAÇÃO | XXXI. Donzela que se fina de amor (Á) | XXXII. A noiva do Duque de Alba (Í-A) | XXXIII. D. Ângela (Í-A) | XXXIV. Febre amarela (Estróf.) | XXXV. O touro (Á-A) || ESPOSA DESGRAÇADA | XXXVI. Conde Alarcos (Í-A)  | XXXVII. O parto em terras alheias (Estrof.) | XXXVIII. A má sogra (Á) | XXXIX A mulher do pastor (Ó, Ó-E) |  XL. A devota da Ermida (Í-A) | XLI. A mal casada (É-O) || ADÚLTERA | XLII. Clarinda (Polias) |  XLIII. Frei João (Á-A) | XLIV. O gato do convento (Á-A) | XLV. Bernal Francês (Í) | XLVI. Conde da Alemanha (Estróf) | XLVII. As bodas em París (Í) || MULHERES MATADORAS | XLVIII. Veneno de Moriana (Polias.) | XLIX. A galharda (Í-A) | L. A serrana matadora (É-A) ||  RAPTOS E VIOLADORES | LI. A esposa de d. Garcia (Polias.) | LII. Rico-Franco (É) | LIV. Os soldados forçadores (Í-A) | LV. A romeira e o estudante (Í-A) | LVI. A romeira e o cavaleiro (Í-A) || INCESTO | LVII. Silvana (Í-A) | LVIII. Delgadinha (Á-A) || MULHERES SEDUTORAS | LIX. Gerineldo (Í-O) | LX. A filha do Imperador de Roma (Á-A) | LXI. A noiva impertinente (Estróf.) || MULHERES SEDUZIDAS | LXII. Aliarda (Estróf.) | LXIII. A infanta seduzida (Á-A) | LXIV. A erva fadada (Á-A) || VARIAS AVENTURAS AMOROSAS | LXV. Flérida (Í-A) | LXVI. S. Simão (Polias.) | LXVII. El rei e a Virgem Maria (É-A) | LXVIII. A criada honrada | (Á-A) LXIX. A morenita (Estróf.) | LXX. Eu montei no meu cavalo (Í-A) | LXXI. Indo eu por certa rua (-EU) || BURLAS E ASTÚCIAS | LXXII. Deus te guarde, Rosa (Estróf.) | LLXXIII. A aposta ganhada (Á) | LXXIV. Sete anos servi um amo (É) || RELIGIOSOS | LXXV.A tentação do marinheiro (Á-A) | LXXVI. Santa Iria (Pentas.; Á-A) | LXXVII. Santa Iria (Heptas.; Á-A) | LXXVIII. O lavrador da Arada (Í-A) | LXXIX. A fonte clara (Á-A) | LXXX. A  fé do cego (É) | LXXXI. Alta vai a Lua, alta (Í-A) | LXXXII. Bem madrugava a donzela (Á-A) | LXXXIII. A devota do Rosário (Í-A) | LXXXIV. Santa Teresa e o pobrezinho (Estróf.) | LXXXIV. Santo António livrando o pai da forca (Estróf.) | LXXXVI. O milagre dos passarinhos (Estróf.) | LXXXVII. Nossa Senhora lavadeira (Estróf.) | LXXXVIII. A confissão de Nossa Senhora (Estróf.) | LXXXIX. Confissão da noite (-ÃO) | XC Os Três Reis do Oriente (Estróf.) | XCI. Oh que lindos prados verdes (Á-O) | XCII. Noite de Natal (É-O) | XCIII. Santíssimo Sacramento, onde vais tão de Madrugada (Á-A) (= Morte de d. João ao Divino) | XCVI. Jesus Cristo vai dizer missa (Á) | XCV. Quinta- Feira santa, Quinta-Feira Santa (Á-A) (=Alondo de Aguilar (Á-A) ao Divino) | XCVI. Por esta ribeira de sangra (Polias.) | XCVII. Ao baixar da Cruz (É-A) | XCVIII. As queixas de Maria Madalena (Á-A) | XCIX Na montanha estava a Virgem (Á-A) | C. Lá detrás daquele outeiro (Polias.) | CI. Paixão do Redentor (Estróf.) | CII, O monumento armado (Á-O) (=O entierro de Fernandarias [Á-O], ao Divino) | CIII. Nossa Senhora com almas au Paraíso (Í-O) || MORTE PERSONIFICADA | CIV. Morte ocultada (Í-A) || ANIMAIS | CV. D. Gayo (Á-O) | CVI. A pulga e o piolho (Estróf.) | CVII. O sapo e a sapa (Á-A) | CVIII. A loba parda (Í-A) | CIX. O canário (Estróf.) || ASSUNTOS VARIOS | CX. Infantina | CXI. O velho viúvo (Á) | CXII. O gastador (Ó- ÃO) | CXIII. Donzela guerrera (-ÃO, Á) | CXIV. As três comadres (É) | CXV. Mirumdum (Á) | CXVI. As dúas irmãs (Í-A) | CXVII. A mulher avarenta (Estróf.) | CXVIII. Nau catrineta (Á) | CXIX. O demónio e o Almocreve (É-O) | CXX. Os ladrões e o almocreve (É-O) | CXXI. A filha do lavrador (Ó) | CXXII. A filha do ermitão (Í-A) | CXXIII. Vida de Freira (Estróf.) | CXXIV. Bem cantava a lavadeira (É-A) | CXXV. A branca e a morena (Ó-A) | CXXVI. A fonte da Salgueirinha (Í-O+Estróf.) | CXXVII. A tecedeira (Á) | CXXVIII. Pastora, linda pastora (Estróf.) || CANÇÕES CUMULATIVAS | CXXIX. Horas da vida | CXXX. Meus senhores, aquí está o vinho | CXXXI. O retrato | CXXXII. A formiga e a neve | CXXXIII. Cantiga das horas | CXXXIV. Caspinteiro, não | CXXXV. As doze palavras || CANCÕES INFANTIS | CXXXVI. As filhas da condessa (Polias.) | CXXXVII. Barca bela (Polias.) | CXXXVIII. O cordão de Nossa Senhora | CXXXIX. Teresinha de Jesus (Polias.) | CXL. Indo eu por aí abaixo (Estróf.+ Á) | CXLI. Os velhinhos e a morte (Estróf.) | CXLII. O velho, o rapaz e o burro (Estróf.) | CXLIII. Agora baixou o sol (Estrof.) || B. PASTORELAS E DESPIQUES || PASTORELAS | CXLIV. A pastorinha | CXLV. Gentil pastora || DESPIQUES | CXLVI. Dê-me licença, menina | CXLVII. O sapateiro | CXLVIII. Joaquininha | CXLIX. Tu que fazes, ó Josésinho? | CL. Candidinha | CLI. Como passas, Mariquinhas? | CLII. Ó meu filho, eu tive um sonho | CLIII. A padeirinha | CLIV. Disputa entre dois casados | CLV. O velho corajoso | CLVI. O velho gaitero | CLVII. O velho brasileiro || C. ROMANCES DE CEGO POPULARIZADOS || BÍBLICO | CLVIII. Judite || AMOR FIEL | CLIX. Que fazes, formosa e bela? || MULHER SEDUZIDA | CLX. A leiteira | CLXI. Bons dias, senhor Morais | CLXII. D. Isaura | CLXIII. A filha grávida || AMOR DESGRAÇADO | CLXIV. Carmina | CLXV. Ernesto y Carlota | CLXVI. No adro da nossa igreja | XLXVII. Carolina | CLXVIII. Zulmirinha || SUIVÍDIO | CLXIX. O mau capataz | CLXX. Començaram de crianças | CLXXI. Angelina | CLXXII. Adeus, ó Quinta da Barca | CLXXIII. Maria Benta | CLXXIV. Leonardo e Angelina | CLXXV. Corinda || INCESTO | CLXXVI. Aquela filha mais velha | CLXXVII. Laura, cheia de tristeza | CLXXVIII. Estando na minha varanda || ASSASSINATO CONJUGAL | CLXXIX. A vida dum jogador | CLXXX. Ó mulher, dá-me dinheiro || PAIS QUE MATAM OS FILHOS | CLXXXI. A mulher que enterra a filha viva | CLXXXII. Ó homem, mata a tua filha || FILHOS QUE MATAM OS PAIS | CLXXXIII. Minha mãe, dê-me dinheiro | CLXXXIV. Antonio da Cunha || OUTRAS MORTES VIOLENTAS | CLXXXV. O Arraial de Valpaços | CLXXXVI. Já mataram o morgado | CLXXXVII. Houve uma provocação | CLXXXVIII. Eu matei o meu irmão | CLXXXIX. Rosita | CXC. Já mataram o canedo || ACIDENTE | CXCI. Ó António, ó António || ANIMAIS | CXCII. O leão e o grilo | CXCIII. O passarinho || ASSUNTOS VÁRIOS | CXCIV. A sala do meu recreio | CXCV. Henriqueta | CXCVI. O pavão | CXCVII. O órfão | CXVIII. Maria da Cancelinha || PICARESCOS | CXCIX. Namorei uma menina | CC. Fui a casa da senhora Aninhas | CCI. O patrão e a criada | CCII. Disfarçada de cigana || APÊNDICE | A. ORAÇÕES | B. ENSALMOS | C. ANTIFIGURIS | D. TRECHOS DE TEATRO POPULAR | E. CANCIONERO.

Notas: 

Contiene dos tomos. 

Serie: Acta Universitatis Coninbrigensis.

Inclui romances em mirandês.

Língua: 
Última modificação: 
15/05/2021 - 11:56