Povos Balsenses: sua situação geographico-physica, indicada por dous monumentos romanos recentemente descobertos na Quinta da Torre d'Ares distante seis kilometros da cidade de Tavira

Tipologia: 
Livro
Localidade: 
Lisboa
Editorial: 
Livraria Catholica
Ano: 
1886
Páginas: 
30
Sinopse do conteúdo: 

[Resumo da fonte]

Não poucos escriptores modernos, propondo-se interpretar a memoria que varios geographos e historiadores antigos legaram á posteridade acêrca dos povos balsenses, entendem que em meio das ruinas da opulenta Balsa estão firmados os alicerces da cidade de Tavira; e citam para assim o comprovar o Itinerario de Antonino, o qual, não só colloca Balsa entre Ossonoba e Esuri, como designa la distancia que separava estas tres cidades romanas.

Affirman igualmente os mesmos escriptores que Ossanoba demorou na área hoje senhoreada pela aldeia de Estôi, e Essuri na em que se dilata a cidade de Ayamonte. 

Nenhum autor, dos que attesram existir Tavira sobre as ruinas de Balsa, indica porém o trajecto que seguia a estrada romana entre Ossonoba e Esuri; e faltando este importante conhecimiento não sabemos como tal conclusão se possa deduzir unicamente do Itinerario de Antonino. 

Para que esta conclusão, emfim, podesse apresentar-se de modo, que não suscitasse duvida, seria indispensavel determinar a verdadeira situação de Ossonoba, e principalmente a de Esuri; porque o local, que esta cidade se diz ter occupado, é sobremaneira contestavel. 

Segundo as observações que este anno fizemos no sitio de Milreu, perto de Estôi, onde ainda se patenteiam as ruinas de um famoso templo de fabrica reconhecidamente romana, e um mui notavel encadeamento de alicerces mais o menos á flor da terra, correndo em maior força no sentido do Cabo de Santa María e do Rio Sêcco, outr'ora navegalvel até Ossonoba, parece-nos que o centro desta cidade devêra antes ter sido neste sitio de Milreu, do que no logar propriamente dito de Estôi.

Língua: 
Área geográfica: 
Última modificação: 
16/04/2021 - 17:00