Os castelos algarvios da Ordem de Santiago no reinado de Afonso III

Autores

Marques, José (Autor)
Tipologia: 
Capítulo de livro
Título do livro: 
Relações entre Portugal e Castela nos finais da Idade Média
Localidade: 
Lisboa
Editorial: 
Fundação Calouste Gulbenkian / JNICT
Ano: 
1994
Páginas: 
125-152
ISBN: 
972-31-0632-9
Sinopse do conteúdo: 

[Resumo extraído da fonte]

O título do epígrafe evoca, necessariamente, o papel desempenhado pelos monumentos militares no complexo processo da reconquista, quer no tocante à defensa dos territórios recuperados, quer como centros coordenandores da vida económica, social e adminitrativa, quer ainda como poderosos e insubstituíveis polos dinamizadores do povoamento, colonização e desenvolvimento do território. Derrumbado o enfranquecido domínio muçulmano do sudoeste peninsular, os castelos até então a ele pertenecentes passaram a constituir, antes de mais, um cómodo sistema defensivo ao serviço dos novos titulares das terras algarvias. Mas não é na perspectiva militar que pretendemos apreciálos neste momento, continuando, igualmente, longe de dós a ideia de nos ocuparnos das suas características arquitectónicas, mais ou menos importantes nos campos da arte e da estratégia. 

Língua: 
Última modificação: 
09/09/2021 - 21:01