O dialecto algarvio. Abordagem histórica

Autores

Tipologia: 
Trabalho inédito
Ano: 
2008
Páginas: 
26
Sinopse do conteúdo: 

[Resumen extraído de la fuente original]

Com origem no romance galego-português, transplantado da sua área inicial a norte do vale do Vouga pelos conquistadores, o dialecto algarvio conserva ainda sons, palavras e regras de gramática que testemunham esse estado de língua ancestral, assim como soluções minhotas, também elas medievais, trazidas pelos colonos. Conserva igualmente características do romance moçárabe, a língua neo-latina falada pelas populações hispanogodas durante o domínio islâmico, bem como arabismos fixados por essas mesmas populações. A par dos seus traços conservadores, o algarvio caracteriza-se também por soluções históricas inovadoras, umas espontâneas, outras provavelmente devidas a influência galo-românica das ordens militares com aquela origem ou a influxo do árabe andaluz. O seu carácter simultaneamente conservador e inovador ficaria a dever-se à difusão e preservação regionais da koinê medieval, uma variedade do português simplificada e regularizada que resultou de um processo de nivelamento dialectal nos territórios colonizados.

Notas: 

Comunicação apresentada ao I Encontro As Tradições Orais no Algarve. Vozes da Terra (Casa do Povo de Querença, 3 e 4 de Novembro de 2006), organizado pela Fundação Manuel Viegas Guerreiro e pela Câmara Municipal de Loulé.

Língua: 
Área geográfica: 
Última modificação: 
02/08/2019 - 14:26