Festas e refeições rituais em Trás-os-Montes

Tipologia: 
Artigo de revista
Título da revista: 
Revista de Guimarães
Ano: 
1993
Número: 
103
Páginas: 
99-107
Sinopse do conteúdo: 

[Resumo extraído da fonte] 

Os habitantes de Trás-os-Montes (TOM), nomeadamente em Barroso vivem em comunidades fechadas, entre altas montanhas: Larouco e Gerês, Cabreira e Barroso, comfundos vales, colinas suaves, planaltos e extensas planícies, ao longo dos rios Cávado, e Rabagão, povoados de lagos artificiais. São aldeias pequenas, concentradas, de granito escuro e telha recente que substituiu o colmo negro, com ressaibos e parecenças aos castros celtas, que deram origem ao nosso povoamento medieva. Região interior, de uma monotonia relaxante, sem indústrias, cada vez menos habitada, servida por ruas e estradas estreitas, recentemente alcatroadas. Esbarramos do lado norte com a Galiza irmã a comungar connosco no ancestralismo e pureza de tradições e íngua. Poucas escolas, a não ser a primária, que agora vai fechando pela desertificação galopante, O Transmontano aprendeu a ler e contar, apenas para emigrar, tirar a carta, e saber assinar o nome e pouco mais lhe serve o que aprendeu. Os que aprenderam algo mais voltam aos torrões ou emigram.
Língua: 
Área geográfica: 
Última modificação: 
26/09/2021 - 13:35