Diocese de Bragança-Miranda

Autores

Tipologia: 
Capítulo de livro
Título do livro: 
Dicionário de História Religiosa de Portugal
Editores de livro: 
Azevedo, Carlos Moreira (dir.)
Localidade: 
Lisboa
Editorial: 
Círculo de Leitores
Ano: 
2000
Páginas: 
vol. 1 (pp. 253-264)
Sinopse do conteúdo: 

[Resumo extraído da fonte] 

O Nordeste trasmontano constituía a região mais distante da arquidiocese de Braga. A própria fronteira era uma linha geográfica indefinida, cujo acerto só se fez com o Tratado de Alcanizes (12 de Setembro de 1297). A região de Bragança esteve pendente algumas vezes entre a posse de Braga e Astorga (cf. COSTA - O bispo, p. 270). A Brigantia medieval pertencia ao «arcediagado e terra de Bragança». As 51 freguesias que constituíam esta divisão eclesiástica faziam parte de uma zona semiermada, cujo centro religioso e cultural devia ser constituído pelo mosteiro de Castro de Avelãs (ALVES - Memórias, vol. 1, p. 21-25). O Paroquial suévico regista o nome de alguns pagi pertencentes às terras de Bragança. Brigantia, Laetera e Valaritia vêm já incluídas no Paroquial. Quer dizer que essas aldeias, dispersas por uma área bastante grande, constituíam núcleos religiosos com a vida cristã perfeitamente organizada no século vi (cf. OLIVEIRA - As paróquias, p. 44-46). Apesar da distância, a região bragançana mereceu aos arcebispos alguma atenção. 

Língua: 
Última modificação: 
07/11/2021 - 11:57