A arquitectura e os mosaicos do complexo baptismal de Mértola

Autores

Tipologia: 
Artigo de revista
Título da revista: 
Revista de História da Arte
Ano: 
2008
Número: 
6
Páginas: 
33-41
Sinopse do conteúdo: 

[Resumo proveniente da fonte]

Localizada no limite navegável do Guadiana, Mértola manteve, desde o período préromano, um contacto privilegiado com o mundo mediterrânico. A riqueza mineira da região em que Mértola se inclui fez da cidade um importante entreposto comercial, numa dinâmica que não foi interrompida com o fim do Império Romano. Os abundantes testemunhos da Antiguidade Tardia revelados pelos trabalhos arqueológicos têm trazido à luz um conjunto de ambiciosos programas construtivos, permitindo uma aproximação mais rigorosa à topografia de Mértola na Antiguidade Tardia. As primeiras descobertas devem-se a Estácio da Veiga, que nos finais do século XIX exumou, na zona do forum-alcáçova, um importante mosaico policromo com uma tartaruga como temática central. Posteriormente, e desde 1979, as escavações feitas pelo Campo Arqueológico de Mértola puseram a descoberto um significativo conjunto de vestígios deste tipo de material decorativo tão difundido no período romano e que fez a glória de Bizâncio. Do conjunto musivo fazem parte várias representações mitológicas das quais se destaca um painel com Blerofonte cavalgando Pégaso matando a Quimera e várias cenas de caça, das quais se destaca, um cavaleiro a caçar com um falcão, elemento bastante singular na iconografia dos mosaicos paleocristãos que deverão datar da primeira metade do século VI. Estes mosaicos, aqui sumariamente apresentados, estão inseridos nas imediações de uma estrutura baptismal e num pórtico que possivelmente se integram numa basílica ou num paço episcopal.

Located at the navigable portion of the Guadiana river, Mértola has maintained, since Pre-Roman times, a valuable contact with the Mediterranean world. The mining wealth of its region established Mértola as an important centre of commerce, whose dynamic activity did not cease during the late Roman Empire. The countless vestiges of Late Antiquity revealed by archaeological findings have brought to light several ambitious constructive programmes, which allow for a more rigorous analysis of Mértola’s topography during Late Antiquity. The first findings were made by Estácio da Veiga, who during the late 19th century excavated, throughout the area of the forum and castle, an important polychromatic mosaic whose central theme was that of a turtle. Later, and since 1979, the excavations made by the Campo Arqueológico de Mértola revealed a significant number of vestiges of the same kind of decorative material, which was largely disseminated during Roman times and characterized the Byzantium Period. Of a series of mythological representations, part of a museological group, the panel with Bellerophon riding Pegasus and spearing Chimera is noticeable, along with several hunting scenes, where a knight hunts a falcon, a particular element of the iconography of Early Christian mosaics which date from the first half of the 6th century. These mosaics, briefly described, belong to the surroundings of the baptismal structure and the portico, which were possibly part of a basilica or Episcopal palace.

Língua: 
Área geográfica: 
Última modificação: 
02/03/2020 - 22:23