O objetivo do projeto Frontera hispano-portuguesa: documentación linguística y bibliográfica (FRONTESPO) é a documentação linguística exaustiva da franja fronteiriça entre Espanha e Portugal. Esta fronteira, um dos limites estatais mais antigos e estáveis da história, constituiu-se ao longo do tempo como um espaço de encontro e confluência de variedades linguísticas – com filiação, situação sociolinguística e enquadramento legal diferentes –, cujos limites nem sempre são claros nem concordam com a Raia política. Para além disso, a sua posição marginal relativamente aos principais núcleos urbanos reúne condições especiais para a conservação de estados de língua arcaizantes. Tem sido, também, um território de intensa mobilidade interpessoal, tanto temporal (jornaleiros, marinheiros, romarias, contrabando…) como permanente (casamentos mistos, emigração, exílio e refúgio, etc.).

Todas estas circunstâncias fazem com que a fronteira Portugal-Espanha seja um domínio privilegiado para a investigação linguística e etnográfica, sob variadas perspetivas.

A zona fronteiriça encontra-se sujeita a um processo evolutivo que está a transformar, de modo acelerado, a sua identidade cultural e linguística. Entre os múltiplos fatores de mudança podemos citar os seguintes: perda do modo de vida tradicional, despovoamento das terras do interior, emigração para as grandes cidades, supressão do controlo fronteiriço e livre circulação de mercadorias e trabalhadores, forte expansão dos meios de comunicação de massas e generalização da escolaridade.

Torna-se urgente, portanto, recolher informação sobre o território fronteiriço, para documentar o estado de vida tradicional e estudar o processo de mudança, assim como para valorizar o seu imenso património cultural, com o fim último de contribuir para a sua revitalização.

Alfândega de Vilar Formoso (Portugal). Coordenadas em Google Maps.

SECÇÕES

a) Recolha de corpus oral em localidades fronteiriças

Durante a primeira fase (julho de 2015; novembro de 2015 a maio de 2016), foram explorados 43 pontos de inquérito, pertencentes a 9 zonas de trabalho distribuídas ao longo da fronteira Portugal-Espanha. Cada uma das zonas é formada por um mínimo de duas localidades espanholas e duas portuguesas; para facilitar as comparações diacrónicas, dois dos pontos escolhidos (um de cada lado da Raia) foram já explorados por algum atlas linguístico ou monografia dialetal. Como procedimento geral, entrevista-se, em cada ponto da rede de inquéritos, um mínimo de três informantes, com representação dos dois sexos e estratificação etária, tendo em conta as características demográficas de cada território específico: a) falantes maiores de 75 anos; b) falantes entre 50 e 75 anos; c) falantes menores de 50 anos.

As entrevistas, semidirigidas, desenvolvem-se em torno de três eixos temáticos: os campos semânticos da vida tradicional (trabalhos do campo, animais domésticos, a farinha e o pão, etc.); informação etnográfica sobre a vida na Raia (contrabando, relações entre os lugares, modo de vida tradicional, etc.); e os juízos linguísticos do informante (comparação do falar da comunidade respetiva com os das povoações vizinhas, língua utilizada no contacto linguístico com as pessoas do outro lado da Raia, a língua dos mais jovens, etc.). A grande maioria das entrevistas foi gravada em vídeo, formato que permite a incorporação de numerosos elementos paralinguísticos e ajuda à melhor explicação de determinados conceitos e à difusão do corpus.

O corpus oral será publicado ao longo dos próximos meses no separador gravações; nessa mesma secção serão incluídas as transcrições das entrevistas. A secção atualizações oferece informação sobre todas as novidades, também disponíveis nos nossos perfis em redes sociais. É obrigatório consultar as condições de uso antes de utilizar o material.

 

b) Edição, publicação e transcrição de gravações dialetais em território fronteiriço

O FRONTESPO está muito interessado em albergar na sua página web qualquer tipo de material oral recolhido fora do âmbito do projeto, com a finalidade de contribuir para a sua preservação e difusão, tanto entre os investigadores como nas próprias comunidades em que o material tenha sido gravado. Os materiais deverão ser cedidos pelos seus proprietários de acordo com o especificado nas nossas condições de uso; serão depois incorporados na secção gravações, com discriminação da autoria . Para mais informação ou para negociar a cedência de material, entre em contacto connosco: frontespo@gmail.com.

Entrevista em Escarigo (Figueira de Castelo Rodrigo, Guarda). Coordenadas Google Maps

c) Bibliografia multidisciplinar da fronteira Portugal-Espanha

O projeto prevê a criação de uma base de dados bibliográfica que recolha fontes primárias e secundárias que tratem da temática da fronteira sob qualquer das suas múltiplas perspetivas (Antropologia, Economia, Geografia, Literatura…) e que permitam compreender a situação linguística do território ao longo da história.

Cumpre referir que a comunidade científica conta com o valiosíssimo repertório elaborado pelo Campo Arqueológico de Mértola, em cujo desenvolvimento participaram membros do FRONTESPO. Conscientes da necessidade de não duplicar esforços e de estabelecer redes de colaboração, obtivemos autorização para integrar esses materiais na nossa base de dados.

As principais novidades proporcionadas pela Bibliografia Multidisciplinar do FRONTESPO são: a) a gestão informatizada dos materiais, com o que isto supõe no tocante à busca de informação e recuperação de resultados; b) a consideração de toda a fronteira Portugal-Espanha, desde a foz do Minho até à do Guadiana; c) a incorporação de trabalhos procedentes de qualquer ramo do conhecimento; d) a delimitação geográfica precisa de cada registo bibliográfico; e) a catalogação temática e inclusão de metadados descritivos.

A Bibliografia Multidisciplinar estará disponível na secção Bibliografia logo que seja alcançado um número significativo de materiais catalogados. Estima-se que a abertura ao público tenha lugar no início de 2017.

 

d) Repositório de materiais

Esta secção inventaria e reproduz todo o tipo de material linguístico ou de interesse linguístico localizado na zona fronteiriça: compilações do léxico tradicional de um determinado lugar, documentários sobre a história e a atualidade da zona fronteiriça, investigações monográficas sobre o falar de uma localidade que permaneceram inéditas até hoje, textos históricos produzidos em – ou referentes a – algum território de fronteira, etc.

Albergamos nesta secção tanto materiais recolhidos pela nossa equipa no âmbito do projeto como materiais que terceiros aqui queiram depositar (com o consentimento, claro está, dos seus proprietários); para mais informação ou para negociar a cedência de material, entre em contacto connosco: frontespo@gmail.com.

 

e) Tesoro léxico de la frontera hispano-portuguesa

O Tesoro léxico de la frontera hispano-portuguesa, promovido pelo Doutor José Antonio González Salgado, compila o vocabulário compartilhado por um e outro lado da fronteira Portugal-Espanha. Deixando de lado o fundo lexical comum e os empréstimos estendidos a todo o território, o Tesoro é um dicionário que compila o léxico que une os dois lados da franja fronteiriça e que, por outro lado, separa a fronteira Portugal-Espanha do resto de ambos os países.

Este dicionário estará disponível brevemente na secção Tesouro léxico.

Coleção do Museo Etnológico de Puerto Seguro (Salamanca). Coordenadas Google Maps.

f) Blogue e redes sociais

O nosso blogue e os perfis nas redes sociais transmitem as novidades do projeto (publicações de artigos, apresentações em congressos, novos conteúdos no site, etc.) e difundem informação relevante sobre estudos fronteiriços e linguísticos, prestando especial atenção, claro está, ao âmbito Espanha-Portugal.

 

g) Hiperligações

Selecionámos vários links de páginas web: organismos oficiais que gerem programas transfronteiriços, estudos sobre o património cultural ou natural do território, páginas que estudam a língua de uma determinada zona, descrições geográficas ou históricas de aldeias raianas, etc. Para sugerir uma nova hiperligação, escreva para frontespo@gmail.com

Ponte internacional sobre o ribeiro Abrilongo (El Marco / Várzea Grande). Coordenadas Google Maps.

EQUIPA

Reunião em Alcalá de Henares, Outubro de 2015. Na fotografia, da esquerda para direita: Juan Carrasco, Fernando Brissos, María Victoria Navas, José Antonio Salgado, Xosé Afonso Álvarez e Vera Ferreira.

FINANCIADORES

  • Ministerio de Economía y Competitividad do Governo de Espanha, no âmbito do projeto Frontera hispano-portuguesa: documentación lingüística y bibliográfica (FFI2014-52156-R). Período: 2015 – 2017.
  • Ministerio de Economía y Competitividad del Gobierno de Espanha, no âmbito do projeto associado ao contrato Ramón y Cajal Dialectología y geolingüística románicas (RYC-2013-12761). Período: 2015 – 2019.