O oracionário mirandês: a língua das orações

Autores

Tipología: 
Artículo de revista
Título de la revista: 
Mensageiro de Bragança
Año: 
2003
Sinopsis de contenido: 

[Resumen extraído de la fuente original]

Este texto pretende ser uma modesta e primeira reflexão sobre uma velha afirmação de J. Leite de Vasconcellos e sucessivamente repetida sem contestação, mas também sem demonstração: os mirandeses não rezam e talvez nunca tenham rezado mirandês.

Enunciado o propósito, fica claro que nos interessa, aqui e agora, o oracionário mirandês no seu aspecto cultural. Não que descuremos a essencial manifestação de fé que a oração sempre é, mas essa seria uma reflexão completamente distinta. É o sentido amplo de oração que nos servirá de referência. A pergunta - em que língua rezaram e rezam os mirandeses? -, delimita o nosso propósito, deixando de lado os inúmeros aspectos da chamada ‘piedade popular’, bem como a questão da língua das orações na Idade Média. Este texto vale, portanto, como uma primeira reflexão.

Notas: 

Data de publicação: 10 de Abril de 2003.

Lengua: 
Área geográfica: 
Última modificación: 
02/08/2019 - 14:26