Blog

O barranquenho: porta entre línguas e culturas, passado, presente e futuro

O projeto FRONTESPO participa na organização e no programa do congresso internacional O barranquenho: porta entre línguas e culturas, passado, presente e futuro, que se celebrará em Barrancos o 2 de Junho de 2017.

A Guerra Também foi Nossa - RTP

“A Guerra Também foi Nossa” (RTP)

“A Guerra Também foi Nossa” (RTP)

Sinopse: "Foi uma sangrenta guerra civil que dividiu Espanha, mas também marcou para sempre a vida de milhares de portugueses, que viviam perto da fronteira ou trabalhavam no país vizinho. Há 80 anos, a guerra civil espanhola, autêntico ensaio para a 2ª Guerra Mundial, provocou meio milhão de mortos. Mais de 100 mil continuam desaparecidos até hoje, enterrados em valas comuns por toda a Espanha. Estima-se que centenas sejam portugueses. Esta semana contamos-lhe histórias inéditas de portugueses que, apesar de não terem ido para a frente de batalha, foram fuzilados na guerra civil de Espanha. Ao lado da fronteira, foi o teatro de guerra mais próximo do território português. O Linha da Frente percorreu a raia portuguesa e encontrou famílias destroçadas pelo horror da guerra, mas também histórias únicas de solidariedade e amor ao próximo. "A Guerra Também foi Nossa", uma reportagem da jornalista Ana Luísa Rodrigues, com imagem de Carla Quirino e edição de José Rui Rodrigues. Ver em: http://www.rtp.pt/play/p2231/e260226/linha-da-frente

 

Tags: 

Os días afogados

Os días afogados. Película-documental sobre la construcción de la presa de Lindoso (Barragem do Alto Lindoso), que anegó las aldeas de Buscalque y Aceredo (Ourense). Parte del metraje son películas grabadas por los propios vecinos en los años 80 y 90 o reportajes de televisión de la época, muy interesantes por el testimonio humano, pero también por la lengua utilizada.

 

Algunas referencias adicionales:

 

Os días afogados | Trailer 1

Os días afogados | Trailer 1

Portugal - Um dia de cada vez

Uma viagem que começa no extremo Norte de Portugal e que, por terras de Trás-os-Montes e do Alto Douro, visita uma dúzia de aldeias e lugares.
As casas, os cafés, as ruas, e as pessoas que ainda as habitam.
É o retrato do dia a dia de algumas dessas pessoas, cada vez menos, cada vez mais idosas. E sós.
Gente que leva a sua vida, um dia de cada vez.

Nota de Intenções

Tudo se passa numa terra interior de onde as pessoas fugiram e onde os restos do sonho de desenvolvimento se tornaram sinais do absurdo. «É a vida e a vida é triste», dizem com resignação os sobreviventes do Portugal interior. Sobrevivem na condição de viver um dia de cada vez, resignados à fatalidade do destino e a recordar um passado que podia ter sido melhor. A desilusão com o destino é enganada com a culpa da traição dos governantes e com a paixão pelos enredos da televisão. No vazio das horas iguais a tantas outras a existência passa e a vida gasta-se a tentar escapar ao desespero. É um filme de retratos de um país triste que fala de uma particular forma de esperança, a que sonha só com a felicidade de se cumprir a vida. Vivemos um dia de cada vez.

João Canijo e Anabela Moreira

http://visao.sapo.pt/jornaldeletras/cinema/2015-11-17-Portugal-Um-Dia-de-Cada-Vez-de-Joao-Canijo-e-Anabela-Moreira 

Portugal - Um Dia de Cada Vez - Trailer

Um dia de cada vez

Frontera hispano-portuguesa (Jan S. Krogh)

La página web de Jan S. Krogh recoge información sobre marcos fronterizos de todo el mundo. Cuenta con una sección específica dedicada a la frontera hispano-portuguesa, con descripciones, fotografías, mapas para acceder a los hitos fronterizos y numerosos enlaces a otras fuentes de información.

Captura de pantalla de la entrada dedicada a Tourem.

Amadeu Ferreira recita un poema

Dues lhénguas

Queremos inaugurar o blogue do projeto FRONTESPO lembrando o Amadeu Ferreira, grande lutador pela dignificação do mirandês, uma das variedades linguísticas faladas ao longo da fronteira hispano-portuguesa. Neste vídeo, gravado poucos meses antes da sua morte, o escritor recita o poema Dues lhénguas, escrito sob o pseudónimo Fracisco Niebro, e comenta os aspetos mais significativos da obra, nascida da sua experiência como falante bilingue.

Andube anhos a filo cula lhéngua trocida pula
oubrigar a salir de l sou camino i tener de
pensar antes de dezir las palabras ciertas:
ua lhéngua naciu-me comi-la an merendas bubi-la an fuontes i rigueiros
outra ye çpoijo dua guerra de muitas batailhas.
Agora tengo dues lhénguas cumigo
i yá nun passo sin ambas a dues.
Stou siempre a trocar de lhéngua meio a miedo
cumo se fura un caso de bigamie.
Ua sabe cousas que la outra nun conhece
ríen-se ua de la outra fazendo caçuada i a las bezes anrábian-se
afuora esso dan-se tan bien que sonho nas dues al mesmo tiempo.
Hai dies an que quiero falar ua i sale-me la outra.
Hai dies an que quedo cun ua deilhas tan amarfanhada que se nun la falar arrebento.
Hai dies an que se m’angarabátan ua an la outra
i apuis bótan-se a correr a ber quien chega purmeiro
i muitas bezes acában por salir ancatrapelhadas
i a mi dá-me la risa.
Hai dies an que quedo todo debelgado culas palabras por dezir
i ancarrapito-me neilhas cumo ua scalada
i deixo-las bolar cumo música
cul miedo que anferrúgen las cuordas que las sáben tocar.
Hai dies an que quiero traduzir ua pa la outra
mas las palabras scónden-se-me
i passo muito tiempo atrás deilhas.
Antre eilhas debíden l miu mundo
i quando pássan la frunteira sínten-se meio perdidas
i fártan-se de roubar palabras ua a la outra.
Dambas a dues pénsan
mas hai partes de l coraçon an que ua deilhas nun cunsigue antrar
i quando s’achega a la puorta pon l sangre a golsiar de las palabras.
Cada ua fui pursora de la outra:
l mirandés naciu purmeiro i you afiç-me a drumir
arrolhado puls sous sonidos calientes cumo lúrias
i ansinou l pertués a falar guiando-le la boç;
l pertués naciu-me an la punta de ls dedos
i ansinou l mirandés a screbir porque este nunca tube scuola para donde ir.
Tengo dues lhénguas cumigo
dues lhénguas que me fazírun
i yá nun passo nin sou you sin ambas a dues.

[ tradução para português disponível em http://stel.ub.edu/paremio-rom/es/p%C3%A1ginas/amadeu-ferreira ]

Fracisco Niebro (Amadeu Ferreira) lee y comenta dues lhénguas

Pages